Piómetra significa uma infecção uterina.

No entanto, a maioria das piómetras são mais difíceis de controlar do que uma simples infecção.
A infecção inicia-se nas paredes uterinas como resultado de alterações hormonais. Após o cio, os níveis de progesterona permanecem elevados por 8-10 semanas preparando as paredes uterinas para a gravidez. Se a fêmea não engravida ao longo de vários cios, as paredes uterinas continuam a engrossar até formar quistos. As paredes uterinas quísticas segregam líquido para o interior do útero, criando um ambiente favorável ao crescimento bacteriano. Por outro lado os níveis elevados de progesterona inibem a contracção uterina e a expulsão da infecção.

Causas da Infecção Uterina em Animais - Piómetra

O cérvix é a porta de entrada no útero. O cérvix está fechado a não ser durante o ciclo éstrico (cio). Durante o cio, as bactérias que se encontram na vagina podem contaminar o útero por via ascendente. Numa situação normal o útero é resistente à multiplicação bacteriana, no entanto, quando as paredes uterinas estão espessadas e quísticas o ambiente torna-se favorável ao desenvolvimento de piómetra.


O uso de medicações à base de progestagénios (contraceptivos) também pode causar piómetra.
Sintomatologia
Os sinais clínicos surgem em função de o cérvix estar aberto ou fechado. Se estiver aberto é visível o corrimento vaginal purulento. É notado frequentemente na pele, pêlo ou na cama. Os animais podem apresentar febre, letargia, anorexia e depressão.


Se o cérvix estiver fechado, não é visível o corrimento de pus. Desenvolve-se distensão abdominal pela sua acumulação no útero. As toxinas libertadas pelas bactérias são absorvidas para a circulação, levando a um estado de doença generalizado. Anorexia e depressão severa são normalmente visíveis. Podem surgir vómitos e diarreia. O rim pode ser afectado pelas toxinas bacterianas, levando o animal a produzir mais urina e a ingerir mais água. Isto ocorre tanto em piómetras abertas como fechadas.

Diagnóstico

Qualquer cadela gravemente doente, que bebe em excesso e não foi esterilizada pode ser suspeita de ter uma piómetra. Torna-se ainda mais provável se existir corrimento vaginal ou se o abdómen se apresentar distendido. As cadelas com piómetra apresentam uma elevação marcada da contagem das células brancas e também das globulinas (um tipo de proteína produzido pelo sistema imune) no sangue. A gravidade específica urinária é bastante baixa devido aos efeitos tóxicos das bactérias nos rins. Contudo todas estas alterações podem estar presentes em animais com outro tipo de infecções graves. Se o cervix  estiver  fechado , uma radiografia abdominal permite frequentemente identificar um útero distendido. Se o cervix estiver fechado a distensão uterina é baixa e a radiografia intestinal poderá não ser conclusiva. A ecografia abdominal pode também ser útil na identificação de um útero distendido e na diferenciação de uma gravidez normal.

Tratamento

Sempre que possível, o tratamento de uma piómetra deve ser cirúrgico, retirando-se útero e ovários (ovariohisterectomia). Uma vez que estes animais estão bastante mais debilitados, esta não é uma cirurgia de rotina, como quando realizada em animais saudáveis. Em todos os casos devem administrar-se fluidos (soro) antes, durante e após a cirurgia e devem ser administrados antibióticos durante uma a duas semanas.


Para mais informação ou aconselhamento, contacte-nos.