Leishmaniose canina

A Leishmaniose canina (também chamada doença do mosquito ou doença da picada do mosquito), é uma doença dos cães provocada por um parasita (protozoário “leishmania”) que é transmitido pela picada de mosquitos (Flébotomo). A leishmania (parasita) invade diversos orgãos, como os rins, o fígado, a pele, etc. causando lesões de diversa extensão/gravidade e que pode provocar a morte dos animais.

Esta doença é transmitida de cão para cão, apenas por mosquitos do género Phlebotomus.

Os mosquitos transmissores (flebotomos), necessitam de condições geográficas/climatéricas apropriadas para se multiplicarem. Estas condições podem encontrar-se um pouco por todo o país, com maior incidência nas regiões do Alto Douro, Vale do Tejo e Algarve.

Para que a transmissão aconteça, é necessário um mosquito picar o cão infectado e ingerir algumas leishmanias; passar aproximadamente uma semana para que os parasitas (dentro do mosquito) se tornem infectantes; e por último, é necessário esse mesmo mosquito, picar um animal.

Sintomas da Leishmaniose

A leishmania multiplica-se na medula óssea, no baço e nos gânglios linfáticos, originando sintomas muito diversos. Os animais doentes, podem apresentar  um ou mais sintomas:

  • Perda de peso
  • Falta de apetite
  • Apatia
  • Debilidade
  • Feridas de pele que não cicatrizam
  • Feridas nos bordos das orelhas
  • Lesões oculares
  • Falta de pêlo à volta dos olhos

Nos casos em que os rins são afectados, os animais bebem muita água e urinam em grande quantidade.

Outros animais podem apenas apresentar hemorragia nasal. Não é raro, aparecerem animais que apenas “espirram sangue”.

Diagnóstico da Leishmaniose

Para saber se um cão tem Leishmaniose, o médico veterinário é o profissional indicado para fazer o diagnóstico.

O diagnóstico definitivo é feito por análises ao sangue, ou por pesquisa das leishmanias na medula óssea do animal.

A colheita da medula óssea, pode ser realizada apenas com anestesia local.

Prevenção da Leishmaniose

Actualmente, não existe vacina para prevenir a Leishmaniose.

A prevenção passa pela utilização regular de produtos que repelem os mosquitos, produtos estes que também protegem contra pulgas e carraças. São eles:

  • Coleira Scalibor (cada 4 meses)
  • Pipeta Advantix (todos os meses)
  • Pipeta Pulvex ((todos os meses)

Evitar passeios em zonas húmidas, perto de charcos ou lagos, sobretudo ao amanhecer ou entardecer, uma vez que são zonas de grande actividade dos mosquitos.
Manter o animal saudável, bem vacinado, bem desparasitado e com um sistema imunitário forte, é também uma maneira de prevenir a Leishmaniose.

Tratamento Leishmaniose

Veja mais informação sobre o Tratamento da Leishmaniose em "Serviços Veterinários"